Paramore fala sobre a importância da fé para seguir em frente produzindo um de seus melhores álbuns

Em entrevista recente à National Public Radio, importante organização de comunicação social dos Estados Unidos, o Paramore falou sobre os altos e baixos de sua carreira na indústria da música.

Hayley Williams também menciona a importância e a força da fé e da amizade com seus companheiros de banda para lutar contra depressão e ansiedade. Segundo a cantora, estes foram alguns dos motivos que os mantiveram unidos produzindo música.
Confira a tradução da matéria na íntegra:

O Paramore já foi classificado como, pop-punk, grunge e rock – mas independentemente do gênero, o adjetivo “cativante” sempre se aplicou à sua música. O mesmo pode ser dito sobre ‘After Laughter’, o último lançamento da banda do Tennessee. Inspirado principalmente nos sons dos anos 80, o álbum é recheado com synth e pep.

“Começamos a compor no verão e… eu só queria dançar,” disse o guitarrista Taylor York. “eu estava muito envolvido com Afrobeat e nós começamos a ouvir com mais atenção o ritmo new wave, como The Cure e Talking Heads… nos anos 80, especialmente no início da década, o polirritmo era muito forte e havia muitas batidas legais e o modo como as melodias dançavam entre si era realmente inspirador.”.

Apesar de ‘After Laughter’ soar animador, suas letras são sombrias. O Paramore enfrentou diversas lutas – um processo, términos públicos, idas e vindas de membros – desde que foi oficialmente formada em 2004. A vocalista Hayley Williams tem falado abertamente sobre seus problemas com depressão, desde que o baterista Zac Farro e seu irmão Josh deixaram a banda em 2010. Vale lembrar que Zac retornou recentemente à formação.

Lakshmi Singh, jornalista da equipe NPR, falou com Williams, York e Farro sobre o processo de criação de ‘After Laughter’, a partida de Zac (e seu retorno algum tempo depois) e sobre como cada pessoa na banda lida com a própria fé em seu caminho.

Lakshmi Singh:
Fale-me sobre os processos de composição e produção de ‘Hard Times’. Essa música soa realmente feliz, mas se você prestar atenção na letra, perceberá que é emocionalmente pesada.

Hayley Williams:
É, esse álbum tem muito disso. Eu não sei se conseguiríamos finalizar um álbum, ao menos na parte das composições, que encaixasse com o tom da música. Mas eu também acho que sou capaz de falar sobre alguns desses sentimentos e emoções – isso acrescentou um tom a mais de verdade. Quero dizer, há muita coisa acontecendo na música. E foi realmente interessante colocar algumas dessas palavras nisso. Mas agora você ouve e soa como ‘Obrigado, Deus’, porque eu realmente não quero cantar sobre isso em um tipo de som triste. Acho que seríamos miseráveis.

Lakshmi Singh:
Zac, você e seu irmão, Josh, deixaram a banda em 2010. Esse foi um término realmente divulgado pela mídia. Por que você partiu e por que você acha que este era o momento certo para retornar?

Zac Farro:
Bem, eu e meu irmão deixamos a banda em 2010 por muitos motivos semelhantes. Mas também houveram motivos diferentes. A principal razão pra mim foi que eu comecei muito jovem. Tinha apenas 13 anos quando começamos a tocar juntos de verdade e, então, 14 quando começamos a fazer turnês em tempo integral. Então eu me sentia em um caminho onde não via a luz no fim do túnel. Eu senti que deixaria a banda arrasada com minha atitude e com a forma com que eu iria lidar com toda a situação. Na época pensei que essa seria a melhor coisa a fazer; sair da banda.

Muito tempo se passou desde que isso aconteceu e então eu comecei a ter a vida que precisava. Me mudei para a Nova Zelândia por alguns anos e tive momentos de mudança de hábitos e vida. Então, você sabe, as coisas colidiram novamente quando eu e Taylor voltamos a nos falar – sempre fomos melhores amigos, mas tivemos esses momentos difíceis em nossas vidas, onde ficamos alguns anos sem nos falar. Foi realmente muito estranho, então eu mal posso esperar pelos próximos anos, desde que paramos de nos falar. [risos]

Lakshmi Singh:
Aparentemente há uma benção nesse pequeno distanciamento.

Zac Farro:
Sim, realmente. Muitas bençãos em todos os lugares, se você olhar ao redor.

Lakshmi Singh:
Ao longo dos anos surgiram assuntos relacionados à sua fé. Vocês dizem que não são uma banda cristã, mas vocês tem fé. Como vocês acham que a sua fé ajudou a manter todos vocês juntos?

Taylor York:
Eu acho que, quando éramos jovens, tínhamos um discurso único sobre como falaríamos de fé. E eu não sei se temos tanto disso agora. Há mais confiança e a sensação de unificação dentro da banda e uma forma mais particular de discutir e reconhecer isso.
Nossa fé é parte do nosso propósito e o motor que nos permite continuar e, as vezes, isso é inconsciente, outras vezes é consciente. Estamos sempre tentando descobrir como falar sobre isso e compreender em quê exatamente acreditamos sobre isso.

Lakshmi Singh:
Depressão é algo evidente nas letras e no álbum como um todo. Mas a fé também é um dos pontos centrais. O que isso significa pra vocês, pessoalmente falando?

Hayley Williams:
Bem, você sabe, eu acredito que tenhamos de lembrar que somos apenas humanos. Isso pode significar depressão para mim, especialmente se tratando dos últimos dois anos, mas isso também pode ter outro significado para o Zac, ou então para o Taylor. Todos temos as nossas montanhas e vales. As vezes você acorda e se sente no ponto mais profundo. Outras vezes você trabalha duro para alcançar o topo da montanha e pode olhar ao redor e ver todas as coisas pelas quais você passou e sobreviveu.
Eu acredito que a coisa mais importante pra mim é lembrar que eu não preciso passar por isso sozinha. Parte disso vem das minhas próprias escolhas e fé em Deus. Mas tem outra parte disso que está além de mim e nunca entenderei. Como amigos, nós três podemos sentir que estamos bem em relação a ter experiências individuais sobre Deus, vida, música, interação com outros e etc. Estamos vivendo a fé que temos uns nos outros, da nossa própria maneira.

Confira a performance do Paramore no programa Jimmy Kimmel Live! 

Paramore Brasil | Informação em primeira mão
Anterior

Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Fórum

Ricardo Cardoso

You can also follow me on Instagram / @ricardoisgood