Em entrevista para a MTV, Warren Fu, diretor dos clipes de Simmer, Simmer: Interlude, Leave It Alone, Leave It Alone: Interlude e Cinnamon, todos da primeira parte do projeto solo de Hayley Williams, fala sobre como criou a narrativa cinemática dos vídeos.

O diretor já havia colaborado com artistas como Daft Punk, The 1975, Haim e The Weeknd em seus mais de 20 anos de trabalho, assim como também dirigiu o videoclipe de “Rose-Colored Boy”, do Paramore em 2018.

Confira abaixo a tradução completa da notícia e entrevista dada pelo diretor à MTV:

“Nós todos ficamos muito felizes com o resultado final de “Rose-Colored Boy” e conversamos sobre fazermos mais [colaborações] no futuro, então quando Hayley e sua diretora de criação, Lindsey Byrnes, me contactaram com novas músicas solo, me joguei na oportunidade de trabalhar com ela novamente.”

Em apenas duas semanas no começo desse ano, Williams compartilhou três vídeos dirigidos por Fu, bem como dois interlúdios, para músicas intensas e emocionais sobre experiências pessoais. Primeiro veio “Simmer”, uma balada sobre torcer seu dedo no local mais dolorido de alguém e se segurar em uma raiva marinante. “Leave It Alone” a seguiu logo depois, rindo muito da ironia cósmica de perder tudo justamente quando você decide manter. A peça final foi “Cinnamon”, mudando o passo para conversar sobre a santidade de um lar e a eventual libertação de Williams.

O visual está cheio de um esplendor um pouco horripilante; Williams é assombrada por sua própria cópia encapuzada em um [dos vídeos], um animal parecido com uma borboleta em outro e vivendo, dançando, pelas extensões de sua casa no terceiro. Inspirados pelas músicas, esses clipes também são algo completamente diferente. Os vídeos de Fu permitem que as músicas falem por si mesmas enquanto colocam as duas personagens de Williams, a quem ele se refere como “Mercy” [Misericórdia] e “Wrath” [Ira], em uma jornada de três vídeos sobre a batalha interna de aceitar um ao outro como um.

“Essas são músicas muito pessoais para ela”, diz Fu. “Ela tinha uma coleção de ideias que vinham de visões que ela tinha. Algumas eram soltas, outras eram específicas.

Depois de obter algumas anotações iniciais sobre as ideias e a direção em que Williams queria seguir, Fu começou a trabalhar para estabelecer o mundo que eles iriam visitar. “‘Simmer’ parecia o thriller de abertura,” ele diz. “‘Leave It Alone’ foi o segundo ato introspectivo, ou meditação, e ‘Cinnamon’ foi o estranho sonho febril que transita para um final climático”.

“Com essa estrutura geral em mente, deixei as letras guiarem a narrativa”, diz ele. “Eu compartilhei essa estrutura, Hayley e Lindsey deram seu feedback, e eu fiz alterações e me expandi nisso ainda mais.”

Os vídeos foram filmados ao longo de três dias durante um fim de semana frio de inverno no Tennessee. A equipe aplaudiu durante cenas de dança. Fu esvaziou o set para as cenas emocionais e íntimas. Tudo aconteceu em uma ou duas tomadas para cada música.

No vídeo de “Simmer”, Williams foge de uma entidade maligna que a persegue em uma floresta antes de encurralá-la em uma casa. Williams domina o demônio mascarado antes de desmascará-lo e ver que é, na verdade, ela. Depois de experimentar as temperaturas brutais durante as filmagens, Fu hesitou em insistir nessa ideia, especialmente porque Williams filmou suas cenas correndo completamente nua.

“Quando chegamos à cidade e vimos gelo e granizo na previsão do tempo, comecei a me perguntar se poderíamos mudar o conceito do vídeo”, diz ele. “A ideia por trás de Mercy, correndo nua na floresta, era mostrar uma vulnerabilidade crua e dar a sensação de que ocorria fora do tempo.” Embora ele tivesse suas dúvidas, foi Williams quem o incentivou. “’Estou dentro. Fazendo isso pela arte, cara!’” ele diz, parafraseando-a.

Em “Leave It Alone”, uma Williams altamente inventada se liberta gradualmente de uma concha em seu sótão. Ela se tornou outra coisa – parte flor e quase como inseto, escondida em um sótão onde ela entra em um casulo. Fu começou as coisas conferindo a casa de Williams. “Hayley me enviou fotos e vídeos quando comecei. Esse sentimento de um lar e de se sentir confortável em sua própria pele era um tema importante nas anotações dela. ”

“A característica mais distinta e pessoal da casa dela é que ela tem um sótão muito legal. Isso me inspirou a colocar o segundo ato introspectivo em um estranho casulo ou crisálida suspenso nas vigas de um sótão ”, diz ele.

O sótão da cena, no entanto, não é um sótão real. Aconteceu que a casa alugada não tinha um sótão grande o suficiente para usar, então acabaram adaptando um celeiro próximo.

Fu encontrou inspiração para “A Criatura” e seus movimentos na novela de Franz Kafka, de 1915, A Metamorfose, que ele leu quando criança. “O que sempre ficou na minha mente foi o começo em que o protagonista acorda e se vê como um inseto”, diz Fu. “Adorei o visual de mostrar os olhos de Hayley se abrindo em pânico e sem saber quem era ou onde ela estava. Ela volta a dormir, adormecida pela casa e entra em um estado de hibernação, introspecção e transformação. ”

As anotações iniciais de Williams para Fu revelaram que ela queria “combinações inesperadas de imagens bonitas e grotescas”. Ela também deu a Fu o momento inicial que definiria o restante do vídeo: “comendo ostras enquanto toma banho”. Essa ideia teve um grande papel no vídeo de “Cinnamon”, no qual Williams é perseguida por criaturas assustadoras feitas em casa, com as quais ela eventualmente dança em uma exibição extática de descontrole emocional.

“Seus olhos se abrem novamente e ela está quase irreconhecível em relação ao seu antigo eu”, diz ele. “Após o longo acúmulo de dor e luta, essa é a liberação, a recompensa.”

Esta história em que Williams aceita os diferentes pedaços de si mesma como Mercy e Wrath é uma peça importante de Petals for Armor – tão importante que a cantora já lançou as três músicas, juntamente com outras duas, como o EP Petals for Armor I antes de lançamento do álbum em 8 de maio.

Enquanto aguardamos o álbum completo, os fãs têm esses três vídeos – e as intensas análises do YouTube em suas seções de comentários – para segurá-los e mantê-los acordados à noite. Fu adora que as pessoas “se divirtam ou se comovam com a arte” e espera que as pessoas se encontrem na jornada pessoal de Williams. “Se alguém passando por seus próprios problemas pode se relacionar com isso ou encontrar conforto nisso, então você fez seu trabalho”, diz ele.

Paramore Brasil | Informação em primeira mão
Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Fórum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *