Conheça as influências musicais que inspiraram o Paramore na criação do álbum ‘After Laughter’

O novo álbum de estúdio do Paramore, “After Laughter”, já é um sucesso na crítica e nas paradas musicais. Além disso teve grande alcance em sua semana de lançamento e foi destacado como um álbum que retrata e gera força na luta contra a depressão e a ansiedade.

Mas o que será que Hayley, Taylor e Zac estavam ouvindo enquanto realizavam o processo de produção? Qual era a energia que pairava os estúdios do quinto álbum?
A banda publicou uma playlist especial no Spotify, com as influências de ‘After Laughter’ e você vai se surpreender com sons ecléticos que vão de Tinariwen (banda formada por um grupo de pessoas nômades) até um dos maiores artistas da bossa nova brasileira, João Gilberto.

E tem mais! Nós preparamos um resumo de cada faixa da playlist para você entrar de cabeça na nova era do Paramore!

  • Born Under Punches (The Heart Goes On) – Talking Heads
    1980
    “Born Under Punches (The Heat Goes On)” é a primeira faixa do álbum “Remain the Light” da banda americana Talking Heads. O destaque da música é a linha de baixo e a inserção de elementos da música africana além de indicar o som funk do álbum. Foi nomeada como uma das melhores músicas lançadas entre 1980 e 1983.
  • Heart of Glass – Blondie
    1979
    “Heart of Glass” é uma música da banda americana de new wave, Blondie, escrita pela cantora Debbie Harry e pelo guitarrista Chris Stein. Foi lançada como terceiro single do álbum “Parallel Lines” em janeiro de 1979 e alcançou o número 1 dos charts em vários países, incluindo Estados Unidos e Reino Unido.
    Atualmente, “Heart of Glass” é classificada no número 56 na lista oficial do Reino Unido de singles mais vendidos de todos os tempos, alcançando 1,3 milhão de cópias.
  • You Can Call Me Al – Paul Simon
    1986
    Foi o single principal do sétimo álbum de estúdio “Graceland” do cantor e compositor americano Paul Simon. A letra sugere ser sobre um indivíduo aparentemente experimentando uma crise de meia-idade. Lançado em setembro de 1986, “You Can Call Me Al” se tornou o maior sucesso solo de Simon, alcançando o grupo das cinco melhores músicas em sete países na época.
  • Someday – The Strokes
    2002
    Terceiro single do álbum “Is This It” da banda indie americana The Strokes, “Someday” alcançou o número 17 nos charts de músicas alternativas dos Estados Unidos e número 27 nos charts de singles do Reino Unido. A banda ajudou no ressurgimento do rock de garagem no início do século XXI.
  • Congress – Thomas Mapfumo
    1985
    Uma música que foi escrita em antecipação ao primeiro congresso anual da ZANU-PF. Após a independência, Mapfumo estava começando a desfrutar do reconhecimento do novo governo negro liderado pelo primeiro-ministro Mugabe.
  • Drive My Car – The Beatles
    1965
    Escrita principalmente por Paul McCartney, com contribuições líricas de John Lennon. Foi lançada pela primeira vez na versão britânica do álbum “Rubber Soul” de 1965. “Drive My Car” é alegre e positiva. Ao longo dos anos, muitos artistas fizeram covers e suas próprias versões da faixa.
  • Ho-ba-la-la – João Gilberto
    1959
    Pertence ao álbum de estreia de João Gilberto, chamado “Chega de Saudade”. Um disco clássico que para muitos, marca o início da bossa nova.
  • Expensive Shit – Fela Kuti
    Water No Get Enemy
    1975
    “Expensive Shit” e “Water No Get Enemy” pertencem ao álbum “Expensive Shit” da banda africana Fela Kuti, banda pioneira no ritmo afrobeat (combinação de música yorubá, jazz, highlife, funk, percussão africana e estilos vocais), Foi um dos discos mais influentes para artistas como Talking Heads, que experimentaram ritmos tribais semelhantes.
  • Scooby’s in the Back – HalfNoise
    2017
    Música do EP recém-lançado “The Velvet Face” da banda HalfNoise, projeto paralelo de Zac Farro, membro fundador e atual baterista do Paramore. Em recente entrevista, Zac explicou como a faixa aconteceu: “Começou como uma frase para fazer meus amigos rirem. Então, de repente, ouvi a música na minha cabeça e corri para casa e escrevi tudo em uma hora ou duas. Eu sinto que essa música não só representa o lado alegre do The Velvet Face EP, mas também representa esse lado da minha personalidade “.
  • Down Under – Men At Work
    1981
    Single do álbum “Business as Usual” da banda australiana Men At Work. É uma canção alegre, cômica, com ritmo new wave e a letra sugere ser sobre australianos viajando pelo mundo. A canção foi um sucesso de vendas em vários países.
  • Judy Is A Punk – Ramones
    1976
    Considerada uma das 10 melhores músicas do Ramones, Joey explicou que o primeiro verso foi escrito após ele caminhar próximo a um prédio que, segundo ele, era “onde todas as crianças do bairro estavam penduradas na cobertura e bebiam”. O segundo verso ocorreu depois de caminhar por uma rua diferente. As letras se referem a dois jovens infratores em Berlim e São Francisco e suas possíveis mortes no final da música. “Judy Is A Punk” faz parte do primeiro álbum de estúdio do Ramones, lançado em abril de 1976.
  • Hysteric – Yeah Yeah Yeahs
    2009
    Música pertencente ao álbum “It’s Blitz” da banda americana de indie rock, Yeah Yeah Yeahs. Uma canção de amor sobre ser feliz com alguém em vez de tentar fazer ele ou ela ficar, parece ser o espelho da famosa música “Maps”. “Hysteric” é a música mais leve e coesa do álbum.
  • C-Minor – mewithoutYou
    2006
    Faixa do álbum “Brother, Sister” da banda de indie rock americana mewithoutYou. Hayley Williams já se declarou fã da banda e tem como grande amigo o vocalista Aaron Weiss que participou na composição da música “No Friend” presente no recém-lançado álbum do Paramore, “After Laughter”. O álbum “Brother, Sister” e a música “C-Minor” apresentam uma abundância de simbolismos, muitos dos quais estão ligados aos animais.
  • The Moment – Tame Impala
    2015
    Além de ser uma banda de rock psicodélico, Tame Impala é caracterizado pelo som de bandas de rock dos anos 60 e 70. A música “The Moment”, tem sintetizadores agitados lembrando instantaneamente “Everybody Wants To Rule The World” ou mesmo “The Sweet Escape” de Gwen Stefani e Akon.
  • City Club – The Growlers
    2016
    De acordo com a crítica, não seria surpreendente se o álbum ‘City Club’ usasse jaqueta de couro e Converse, visto que o sexto LP da banda californiana The Growlers foi produzido por ninguém menos que Julian Casablancas, vocalista do The Strokes.
  • Tell Me Something Good – Rufus, Chaka Khan
    1974
    Escrita por Stevie Wonder e lançada em 1974, Tell Me Something Good alcançou a posição número 3 da Billboard Hot 100 e um Grammy na categoria Best R&B Performance by a Duo, na 17ª edição. A canção é caracterizada por um groove pesado e baixo inconfundível.
  • If Not For You – George Harrison
    1970
    Originalmente gravada por Bob Dylan, a música ganhou uma nova versão em 1970, produzida pelo ex-guitarrista do The Beatles, George Harrison e imediatamente se tornou a favorita dos críticos. Mikal Gilmore a descreveu como “surpreendentemente bonita”, enquanto o biógrafo musical Simon Leng a intitula como uma “brilhante criação do pop”.
  • House of Cards – Radiohead
    2007
    Terceiro single do álbum “In Rainbows” da banda americada Radiohead, a música possui um vídeo marcante que câmeras não foram utilizadas, somente com 64 lasers e luz estruturada. Tem como gênero o dream pop e contém acordes de guitarra lentos e parecidos com trabalhos do R.E.M.
  • High – The Cure
    1992
    Single do álbum “Wish”, juntamente com “Friday, I’m in Love” e “A Letter to Elise”, pertencem à um mundo pararelo em relação aos dias obscuros dos álbuns anteriores. “High” é uma canção de amor chiclete surpreendente.
  • Oblivius – The Strokes
    2016
    Música lançada ano passado pela banda, “Oblivius” possui sons, vozes filtradas e linhas de guitarras similares a trabalhos anteriores da banda americana The Strokes. Todos esses sons são reunidos com explosão de acordes e de energia, tudo ao mesmo tempo. É como se a banda estivesse em algum ponto entre os álbuns “Room On Fire” de 2002 e a música “You Only Live Once” (um dos maiores sucessos da banda) do álbum “First Impressions Of Earth”.
  • Chaghaybou – Tinariwen
    2014
    A faixa “Chaghaybou” tem ritmo acelerado e animado e com vocais marcantes. Tinariwen é uma banda formada por um grupo de pessoas chamadas tuaregues ( povo nômade e pastorista) que ficam, basicamente no deserto do Saara, no norte da África. Já ganharam Grammy em 2011 e diversos outros prêmios.
  • Superstar – Carpenters
    1971
    Leon Russell e Bonnie Bramlett escreveram esta música em 1969, e ela se refere a uma mulher que se apaixona por uma estrela do rock. Muitos artistas usam a faixa como inspiração em diferentes gêneros e interpretações desde então, a versão mais conhecida é fa do Carpenters de 1971.
  • Two Fish And An Elephant – Khruangbin
    2015
    Single do primeiro álbum da banda chamado “The Universe Smiles Upon You”, a faixa se tornou um pequeno filme, inspirado em Quentin Tarantino e Hayao Miyazaki. Possui um ritmo diferente chamado Thai-funk, som que molda a base da banda.
  • You Dropped a Bomb On Me – The Gap Band
    1982
    É uma música de ritmo eletrofunk. Uma das suas principais características é o uso de um sintetizador que imita o silvo de uma bomba caindo. Após os ataques de 11 de setembro, a música foi considerada como “liricamente questionável”.

Paramore Brasil | Informação em primeira mão
Anterior

Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Fórum

Milena Aguiar

"We grow up, never grow old" Instagram: @missingmi