Parahoy! 2018: Saiba como foi o primeiro dia do cruzeiro!

O Paramore embarcou ontem (06) em uma aventura marítima que terá duração de quatro dias! É o cruzeiro Parahoy, que leva a banda, ao lado de fãs, até a ilha de Nassau, nas Bahamas, partindo do Porto de Miami, com atividades e shows incríveis.

Como parte de nossa cobertura, que está acontecendo em tempo real em nossas redes sociais, publicaremos, a cada dia, uma recapitulação de tudo que aconteceu no navio, para que você não perca nada!

Nossa equipe também está no navio, e publicará “diários de bordo” ao fim da viagem ❤

Confira a lista de atividades do dia 06/04:

• A Sound Off Silent Disco foi uma festa silenciosa, que contou com três sets de estilos musicais diferentes, que foram transmitidos em fones bluetooth, iluminados com LED.

• Na DIY Station, foi possível customizar roupas com a ajuda da equipe do navio. Fãs puderam criar bótons e outros materiais decorativos.

• Para aqueles que queriam comprar algo já pronto, a loja de produtos oficiais ficou aberta. Nela, psicólogos do Crisis Text Line distribuíram cartões especiais com mensagens positivas.

• O karaokê esteve aberto para fãs que quiseram praticar para o Paraokê oficial, que acontece nos próximos dias.

• No Nashville Is The Reason, os DJs Erick (Fueled by Ramen / Nashville Is The Reason) e Adam (Fly South Music Group) tocaram vários clássicos de bandas como Taking Back Sunday, Blink-182, Panic! At The Disco, All Time Low, Fall Out Boy e Saves the Day.

Além de tudo isso, os fãs viram, ontem, o primeiro show do Paramore, no palco principal do navio.

Setlist:

  1. Hard Times
  2. Looking Up‬
  3. That’s What You Get
  4. ‪Ignorance‬
  5. Daydreaming‬
  6. Fake Happy‬
  7. ‪Pressure‬
  8. Here We Go Again‬
  9. ‪Brighter‬
  10. ‪Let The Flames B‬egin
  11. ‪Last Hope‬
  12. Hate To See Your Heart B‬reak
  13. ‪Brick By Boring Brick‬
  14. Crazy Girls‬
  15. ‪Misery Business
  16. Turn It Off‬
  17. Grow Up‬
  18. ‪Told You S‬o
  19. Rose-Colored Boy

Fotos:

Assista aos primeiros 40 minutos do show:

_

Recapitulação do primeiro dia do Parahoy pela revista Billboard:

Se sentir falsamente feliz é um empecilho. A última vez que o Paramore embarcou em um desses agora regulares cruzeiros do Parahoy!, eles estavam apenas a algumas horas fora do conhecimento do público sobre a batalha legal do ex-baixista Jeremy Davis contra a banda. Entre o Paramore de 2013 e o After Laughter do ano passado, a banda quase terminou.

Mas Hayley Williams e Taylor York persistiram. O After Laughter foi uma reinvenção de cores fortes para os então criadores de hits pop-punk, e o aclamado LP até os viu dar as boas vindas novamente a um amigo antigo.

O baterista original Zac Farro – que uma vez saiu do Paramore em termos não tão positivos – voltou à sua posição, e a banda parece tão enérgica quanto quando tiveram sua grande revelação com o Riot! de 2007.

A Billboard embarcou para coberturas exclusivas do Parahoy! em 2014 e 2016, e nós estamos felizes para ir pro terceiro round. Como o Norwegian Jade parte de Miami para as Bahamas e volta, nós vamos fazer uma recapitulação diária, de acordo com as aparições do Paramore, Local Natives, Judah & the Lion, Halfnoise, mewithoutYou, Now, Now, Mija e 2,700 fãs. O Cruzeiro comandado por seis homens esgotou completamente meses antes da lineup completa ser anunciada – tudo durante a pré-venda – então você sabe que o público é… intenso. Aqui vai nossa recapitulação do primeiro dia ao mar.

5:00 pm: O Norwegian Jade zarpou! O mar é um pouco agitado, mas temos muitas distrações prazerosas para ajudar os Parahoyers a encontrar seu chão. O merch exclusivo do Parahoy! é uma grande coisa e os passageiros estão fazendo filas nos decks para conseguir um número de entrada antecipada dentro da loja oficial. À venda temos camisetas de todas as bandas a bordo, novos casacos adornados com as letras do After Laughter, chinelos do Parahoy!, vinis e muitas cores da linha de tintas para cabelo de Hayley Williams. Passageiros mais experientes sabem que os os looks e tamanhos mais populares mal durarão um dia, então as filas são longas, mas valem muito a pena.

5:30pm: Aqueles que não estavam na fila para o merch ou pegando um lugar para o já próximo set de sexta a noite do Paramore estavam pegando um pouco da vibe indie rock experimental do mewithoutYou – os primeiros performers do Parahoy! 2018. Eles estiveram a bordo em todos os Parahoy! até o momento  (a única outra banda a fazer isso além deles… bem… Paramore) e nós teremos uma entrevista com eles na recapitulação de amanhã.

7:15pm: nós estamos a 45 minutos do set do Paramore, mas o deck do navio já está cheio, enquanto os passageiros estiveram lotando o palco desde o final da tarde após as instruções de segurança. A playlist que antecede a performance tem as digitais do Paramore por todo o lugar: “Heart of Glass” de Blondie, “Born Under Punches” do Talking Heads, “Everywhere” de Fleetwood Mac, “You can call me Al” de Paul Simon. Onde estão essas influências do After Laughter?

8:01pm: É a hora do Paramore! Todos os sete integrantes do Paramore vão para o palco principal sob empolgantes aplausos, enquanto começam “Looking Up” – um rock animador para dar início a sua primeira performance.

8:10pm: É o primeiro cruzeiro de Zac Farro como baterista do Paramore e ele está sendo testado cedo com a percussão furiosa de “Ignorance”, uma das músicas mais pesadas no catálogo do Paramore e um duro tiro aos passageiros de longa data enquanto o sol começa a se pôr no Atlântico. Hayley Williams está com seu microfone em uma das mãos e um megafone na outra, para dar certeza de que a letra incendiária alcance o deck superior do navio: “IGNORANCE IS YOUR NEW BEST FRIEND.”

8:21 pm: “Hoje podemos meio que cantar essa canção ironicamente”, Williams diz, trazendo a finesse do sorriso forçado de “Fake Happy”, a primeira música do After Laughter no set list. Williams canta sobre chorar em metade das músicas do álbum, então é uma sensação que provavelmente revisitaremos.

8:24 pm: “Pressure” dá início a um trio de faixas do álbum de estreia de Paramore, All We Know Is Falling, de 2005. A entrada veloz logo antes do segundo refrão relembra o nível de baterista com o qual estamos lidando com Farro de volta ao time.

8:45 pm: “Last Hope” foi a sentimental peça central do álbum auto-intitulado de Paramore de 2013 e, aqui, traz o clímax emocional do set. Guitarras brilhantes reúnem um ritmo implacável de rock enquanto enquanto cada refrão cria o impulso; no fim, Williams grita suas últimas palavras enquanto se contorce no palco: “It’s just a spark but it’s enough to keep me going / And when it’s dark out and no one’s around it keeps glowing.”

8:50 pm: “Há dois anos, essa era uma difícil de cantar”, Williams admite, lembrando-se da última viagem do Parahoy!. “Hoje não vai ser tão difícil”. É a calma e confortante “Hate to See Your Heart Break”, que Williams escreveu para o guitarrista Taylor York após um momento particularmente difícil.

9:19 pm: “Podemos celebrar esta música sabendo que não precisamos acreditar em todas as palavras. Podemos apenas nos divertir com elas”. Por anos, Hayley Williams se distanciou de alguns dos versos menos saborosos de um de seus maiores hits e, agora, alguns milhares de fãs marítimos sabem do que ela está falando: vamos para “Misery Business”, perguntas depois.

9:27 pm: A noite caiu completamente e o fim chegou para o set número um de Paramore.  Mas como seus fãs sabem, é hora de “ACORDEM, ROSEVILLE!” Seu mais recente single, o pop-rock efeverscente “Rose Colored Boy”, fecha o set, com um minicover de “I Wanna Dance With Somebody” colocado no refrão final. Se os passageiros não sabiam o quão bem o clássico de Whitney Houston cabia na canção, isso é reforçado logo em seguida, quando a faixa é a primeira a ser tocada nas caixas de som depois que a banda sai do palco (aqueles com um bom olho percebem uma alegre Williams pulando nos ombros de Farro ao sair).

10:20pm: No Stardust Theater, os folk-rockers de Nashville, Judah & the Lion estão mantendo a energia fluindo. Armados com um banjo, bandolim e acordeão além dos instrumentos de rock tradicional, há um toque excêntrico em seu set, que não tem medo de mergulhar em covers para os fãs não-familiarizados. Essa daqui é, entretanto, uma surpresa. De algum lugar no Atlântico para as ruas de Detroit, o guitarrista parte para a inflamada introdução de “Lose Yourself”, do Eminem, e o vocalista Judah Akers está arrasando na interpretação da música de Marshall. Eles tentam encontrar na audiência alguém para fazer o freestyle do segundo verso – uma oferta que ninguém quis – deixando a banda a continuar com suas próprias mãos.

10:30pm: Existe uma sensação de que nada está indo mal nesse set do Judah & the Lion. Akers introduz um cover da música favorita da banda desde a quinta série, “que não é nada menos que ‘Mr. Brightside’ do The Killers”, uma aposta sólida para colocar qualquer ser humano entre 18 a 50 anos para cantar junto.

10:55pm: está na hora de Judah & the Lion realmente se voltarem para suas raízes sulistas. Em seguida, temos um cover do clássico do country-rock, “Wagon Wheel”.

11:12 pm: Judah & the Lion tem pelo menos uma música que todos com certeza conhecem e eles a escolheram sabiamente para fechar seu set. O hit alternativo de radio “Take It All Back” preenche o ar e atinge da cabeça aos pés os corpos no Stardust Theater enquanto Akers se aventura até os assentos traseiros do teatro para agitar os fãs e tirar deles qualquer fadiga oceânica.

Tradução: Carol Queiroz – Equipe Paramore Brasil

_

Continue ligado no Paramore Brasil para os próximos diários de bordo!

Paramore Brasil | Informação em primeira mão

Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Fórum

Larissa Stocco

They may be hard times, but at least they're neon ▪ Instagram: @laristocco