No sábado, dia 13, Hayley Williams comunicou por meio de suas redes sociais o lançamento de uma linha de chás em parceria com Sarah Scarborough, criadora dos Tea Huntress, um projeto que visa compartilhar a arte e o ritual do chá por meio de colaboradores.

A cantora anunciou dois chás diferentes, “Bloom” e “Alibi”. O primeiro que tem o vermelho como cor característica é uma mistura de canela, hibisco, rosa e outras ervas sagradas sem cafeína. Alibi tem como cor destaque o verde e tem em sua composição chocolate e chá verde levemente cafeinada e intoxicante com hortelã-pimenta.

Uma parte dos lucros da venda dos sachês de “Bloom” e “Alibi” vai para a Thistle Farms, um santuário de recuperação feminino, para ajudar na cura e esperança para mulheres sobreviventes de tráfico, prostituição e vício.

Em um bate papo com a Sarah, Hayley diz: “Adoro o processo lento e prolongado de cada xícara de chá servida. É um grande exercício de paciência e apreço. É absolutamente meditação.” de modo em que esse processo lhe ajudou a curar a solidão e o silêncio causados pela quarentena do Covid-19.

Hayley também coloca que o hábito de fazer chás é um dos poucos hobbies atuais dela que não tem relação alguma com a música e que tem sido útil encontrar outros hobbies e interesses que pareçam criativos ou satisfatórios de maneiras diferentes. A cantora espera que sua linha faça com que seus consumidores sintam a razão pelo qual cada ingrediente foi escolhido e que tenha o mesmo efeito que teve consigo mesma, possibilitando o aumento da capacidade de paciência das pessoas com elas mesmas.

“Bloom” e “Álibi” estão disponíveis em pré-venda no site Tea Huntress pelo valor de U$18.00 o pacote com 15 sachês biodegradáveis feitos em seda.

Confira abaixo a tradução completa da entrevista feita por Sarah Scarborough para o lançamento da coleção de chás assinados por Hayley Williams:

A primeira vez que conheci Hayley, ela veio para uma cerimônia do chá que eu estava apresentando no The Abode no leste de Nashville. Não sabia quem ela era quando entrou pela porta, mas notei sua energia radiante e sua efervescência!

Quando você se senta em uma cerimônia com alguém, às vezes você pode sentir a energia dela (esta é uma das razões pelas quais a cerimônia do chá é uma experiência tão conectiva) e a dela era realmente brilhante – não ofuscante, apenas realmente magnética. Quando ouvi Petals for Armor pela primeira vez, ficou claro que sua luz brilha através de sua música também. Ela tem um jeito de destilar um intrincado mundo de sentimentos em uma única letra iluminada que circula na mente e planta sua magia ali.

A intenção por trás da criação de seus chás personalizados era trazer essa luz, o amor de Hayley por seus fãs e sua reverência pelo mundo das plantas, juntos. Bloom, uma mistura de canela, hibisco, rosa e outras ervas sagradas que abre o coração, promove o amor próprio. Álibi, uma mistura inebriante de chocolate e chá verde com hortelã-pimenta, oferece uma fuga, um momento sagrado compartilhado com um amigo.

Sarah: Como você descreveria a experiência de que o chá é para você?

Hayley: Em um dia normal, poucos momentos parecem meus. Fazer chá é um processo lento e silencioso. É meditativo para mim… e é tudo meu.

Sarah: Como isso o ajuda a cultivar sua vida? Traz para você paz, inspiração, sabedoria, firmeza, etc …?

Hayley: Estou realmente fascinada pelos boticários e pela ideia de alquimizar a sabedoria das plantas. Fico tranquila em saber que existem coisas que crescem do solo que podem ser remédios úteis e apoiar nossa saúde física, mental e espiritual.

Além disso, uma vez me disseram que eu deveria me cercar de flores como um lembrete do ciclo da vida. O chá que fizemos juntos está cheio de flores.

Sarah: Quando e como você descobriu o chá dessa forma?

Hayley: Quando a pandemia realmente atingiu, tipo, depois que a quarentena entrou em vigor, percebi o quanto estava começando a me ressentir da minha própria companhia e do silêncio. Antigamente, eu tinha ido a algumas cerimônias de chá diferentes, onde aprendi sobre as diferentes maneiras como elas são realizadas em diferentes culturas. Adoro o processo lento e prolongado de cada xícara de chá servida. É um grande exercício de paciência e apreço. É absolutamente meditação. Portanto, decidi começar a fazer minhas próprias cerimônias de chá, sozinha em casa, em algum momento da primavera passada. Isso ajudou muito minha mente.

Sarah: Existe, para você, alguma correlação entre música e chá?

Hayley: Na verdade, não e é provavelmente o que torna uma rotina saudável para mim. O resto da minha vida é feito de música. Escrever, ouvir e consumir, pensar sobre isso. Acho que essas coisas são suas próprias formas de terapia, mas tem sido útil encontrar outros hobbies e interesses que pareçam criativos ou satisfatórios de maneiras diferentes.

Sarah: O que você espera das pessoas enquanto elas experimentam seus chás?

Hayley: Tenho esperança de que as pessoas possam sentir em seus corpos a razão pela qual esses ingredientes foram escolhidos. Fomos muito intencionais com essas misturas. Espero que isso possa desmistificar alguns dos aspectos potencialmente intimidantes da “cultura do chá”. Espero que isso aumente a capacidade de paciência das pessoas consigo mesmas. Espero que dê às pessoas permissão para ficarem quietas e se presentearem com algo que, em última análise, é um presente da terra.

Tradução por: Matheus Pacheco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *