O portal de notícias do jornal britânico The Guardian, publicou na última quinta (14), uma matéria sobre o crescente fluxo migratório de garotas para o rock, em uma sociedade que espera que o pop seja o ritmo mais ouvido pelo gênero feminino.

A vocalista do Paramore, Hayley Williams, foi mencionada na matéria explicando o motivo da “migração” relatada. Confira em primeira mão a tradução e adaptação da matéria elaborada por Caroline Sullivan:

Fãs de rock do sexo feminino gritam: “Eu não deveria ter que gostar de pop só porque eu sou uma garota”

“Se você é uma menina e gosta de metal, é desaprovada. As pessoas esperam que eu goste de Justin Bieber e One Direction e, quando eu digo que vou em shows de metal, eles pensam que eu sou estranha”, diz Kirstie Southcott. “A sociedade acha que o rock é coisa de meninos, e as meninas deveriam gostar de pop e dance, mas a minha geração não deve ser rotulada. Eu não deveria ter que gostar de pop só porque sou uma garota”.

Se a indústria da música tem seu juízo sobre isso, ele irá tomar nota. Uma comerciante de 22 anos, de Hastings, é parte de uma onda de mulheres jovens que se sentem marginalizadas pela presunção de que elas deveriam ouvir somente dance, pop e R&B – o que toca na maior parte do tempo nas rádios. Para Southcott, e milhares como ela, o rock é mais acolhedor, e se seu mais recente ressurgimento está se tornando maior, é porque as meninas estão migrando para ele.

Essas fãs do sexo feminino também podem ser a chave para a busca de ouvintes mais jovens para a Radio 1, uma prioridade para a estação desde um relatório de 2012 da BBC Trust afirmando que a média de 30 anos de idade era “muito velha” para os ouvintes. Apesar de atingir os jovens (que preferem fazer as suas próprias listas de reprodução do que ouvir o rádio) não é apenas problema da Radio 1 – o radialista Eddie Mair escreveu recentemente sobre seu choque ao atender a uma classe de formandos e descobrir que nenhum deles nunca ouviu qualquer rádio – é uma urgência especial para a estação que costumava dublar a si mesma como a “favorita da nação”. Assim, um público inexplorado de jovens fãs de metal do sexo feminino será de grande interesse: “Gostaria de ouvir a Radio 1 regularmente se tocasse mais metal”, diz Southcott. “Eu não entendo o motivo de não ser tocado durante o dia”.

Hayley Williams, que lidera os preferidos da revista Kerrang!, Paramore, atribui a popularidade do metal a “garotas adolescentes morrendo por algo que seja real. Elas desejam ouvir outras pessoas cantando ou gritando algo relacionado à experiências reais. Sempre há tempo para uma boa música pop, mas no final das contas, eu quero relatar e saber que não estou sozinha.”

No Tweet de 1º de Setembro de 2009, Hayley Williams, descontraindo como sempre, postou: “Paramore é uma banda (de metal).”

Fiquem ligados no Paramore Brasil!

Facebook | Instagram | Twitter | Tumblr | Youtube

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.