Em nova entrevista, Hayley Williams relembra os últimos capítulos da banda e comenta o encerramento da era ‘After Laughter’

Depois de passar por muitas dificuldades, com a saída de diversos membros e problemas pessoais na vida de Hayley Williams, o Paramore parece ter se firmado em um novo estilo, que compõe o álbum After Laughter, de maior pontuação entre os críticos da música.

Intimista, a era iniciada no ano passado (2017) terá um fim na próxima sexta-feira, dia 07 de setembro, quando a banda apresenta o festival Art + Friends, criado para celebrar a música e a amizade de Hayley Williams, Taylor York e Zac Farro e outros grupos musicais de Nashville.

Em entrevista para o The Tennessean, Hayley falou sobre o encerramento da era e o significado do festival para a banda, assim como os últimos – e futuros – capítulos do grupo.

Confira abaixo a tradução:

“Arte + amigos”

É um nome pequeno e doce para o elaborado concerto em Nashville que o grupo de rock Paramore planejou para sexta-feira, no Municipal Auditorium.

Mas nos últimos anos, essas palavras carregaram um peso para a vocalista da banda, Hayley Williams. Para ela, essas são as duas coisas que a mantiveram no palco.

A ficha caiu dois anos atrás. A banda estava performando em seu cruzeiro Parahoy! em meio a complicações pessoais e profissionais.

“Eu subi no palco e fiquei muito nervosa com o que eu precisava dizer,” Williams diz.

“Jeremy (Davis, antigo baixista) não estava mais na banda. Eu estava passando por algo que eventualmente se transformaria em um divórcio. E eu percebi que, naquele momento, no palco, a única razão pela qual eu tinha sobrevivido fisicamente e emocionalmente, era a música e também minhas amizades. Isso meio que permaneceu como uma verdade pesada para mim pelos anos seguintes.”

Não é coincidência que esse foi o período de maior transformação – e triunfo – nos 14 anos de história da banda.

Durante a criação do último álbum, “After Laughter”, o membro fundador Zac Farro retornou, trazendo com ele uma nova perspectiva artística. A banda deu uma pausa perceptível no som pesado das guitarras, encontrando um novo som inspirado nos anos 80, mas construído em cima de ritmos brincalhões, texturas eletrônicas e letras introspectivas.

Os fãs, de modo geral, acompanharam a banda, e o “After Laughter” garantiu a ela algumas de suas melhores críticas da carreira.

Agora, Williams diz, “Estamos em um lugar lindamente inocente e novo, tudo por causa dessas duas coisas.”

‘Eu ainda sinto que não sei de tudo’ 

O show de sexta também servirá como o fim do ciclo do álbum “After Laughter” – a banda está dizendo que é “o último show por um tempo” – e Williams diz que eles queriam fazer algo especial, tanto pela terra natal da banda, quando pela era.

“Art + Friends” pode ser chamado de um mini-festival de música, com cinco bandas indie de Nashville que subirão no palco antes do set principal, do Paramore. Williams conta com muitas delas entre suas amizades – no começo da semana, ela e a vocalista da banda Bully, Alicia Bognanno, gravaram um vídeo em frente a um mural promovendo o show.

Poder se conectar com outros artistas de Nashville tem sido “animador e um lisonjeio” para Williams, e uma experiência que ela não teve quando era adolescente e estava em turnê com a banda.

“Eu nunca senti que as pessoas nos viam como uma banda de Nashville, até que crescemos um pouco,” ela diz. “Mas poder não apenas nos conectar com outras bandas da cena, especialmente bandas com vocais femininos, mas também ajudar a introduzi-las para outras pessoas… Eu me sinto muito animada por poder ter uma pequena parte nisso.”

Williams tinha apenas 16 anos quando o álbum de estreia do Paramore foi lançado, mas agora, mais do que nunca, ela e os companheiros de banda são os anciãos da cena.

“Eu não estou acostumada com isso, nem um pouco,” ela diz rindo.

Foi esse o caso quando eles trouxeram a vocalista da banda de indie-rock revelação de Nashville, Sophie Allison (Soccer Mommy) em turnê com eles pelo verão.

“Nós fizemos uma entrevista juntas, e ela disse tipo, ‘Eu completei 21 e acabei de tirar minha identidade, eu estava usando uma falsa. Você já foi no Santa’s Pub, Hayley?'”, Williams lembra.

“Eu fiquei tipo, ‘Você é uma criança! Eu sou sua mãe!’ Eu percebi o quanto mais velha eu sou, e isso é louco. Foi apenas um momento em que percebi há quanto tempo estamos fazendo isso, e eu ainda não sinto que sei de tudo. Espero nunca saber.”

‘Eu voltei para uma cidade diferente’

O crescimento de Nashville também foi um choque para ela em 2015, quando ela se mudou de volta para a cidade da música depois de passar um tempo longe.

“Eu morei em Los Angeles por um tempo, e eu voltei para uma cidade diferente,” ela diz. “Eu estava um pouco de luto, e muitos dos meus amigos se sentiam da mesma forma. Mas para ser sincera, uma vez que me adaptei um pouco mais, e eu tinha coisas em minha vida pessoal que meio que me forçaram a viver uma nova temporada da vida adulta ou qualquer coisa assim, eu comecei a passar mais tempo na cidade e com meus amigos e passei a me conhecer de novo – em um lugar em que cresci, mas que tinha todo esse novo mistério e novas aventuras nele.”

Isso se parece muito com o processo pelo qual ela passou com a banda. Em 2015, Williams diz que ela estava “simplesmente pronta para desistir e fazer outra coisa.” Na sexta-feira, eles vão encerrar esse capítulo com chave de ouro, e o futuro parece estar cheio de possibilidades.

“Parece que estou segurando a banda na palma da mão, em vez de estar me segurando nela como se fosse meu último fio de esperança,” Williams diz.

“Eu sinto um pouco mais de ternura pela banda e sinto que ela não é algo que posso controlar, quer ela continue ou acabe. É uma coisa viva, e eu sou parte dela. É um alívio. Eu amo meus amigos e eu amo a música, então, no fim do dia, em qualquer lugar que isso esteja, eu acho que é isso que vai me fazer continuar. É isso que vai me manter viva.”

Se você quiser ir

“Paramore Art + Friends” acontece no Municipal Auditorium na sexta-feira. Além do set principal do Paramore, o evento terá performances de cinco bandas indie-rock de Nashville: COIN, Bully, Canon Blue, Liza Anne e Nightingail.

Os portões abrem às 3h30 da tarde. Shows começam às 4h30. Os ingressos vão de $22 a $76.50 e estão disponíveis em www.artandfriendsnash.com

Fique ligado no Paramore Brasil!

Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Fórum

Larissa Stocco

They may be hard times, but at least they're neon ▪ Instagram: @laristocco