‘After Laughter’ explicado faixa a faixa: conheça a história por trás de cada música do novo álbum

Todo disco tem uma história, toda música uma inspiração, uma razão de ser como ela é. Com o ‘After Laughter’ não é diferente. Depois de ouvir incansavelmente todas as músicas, é impossível não reparar na intensidade e honestidade das letras do novo álbum. Todos sentiram o impacto e começaram a se perguntar a motivação por trás de cada uma dessas letras tão viscerais. Por isso, o Paramore Brasil traz em primeira mão um resumo, faixa a faixa, das explicações dadas por Hayley Williams, Taylor York e Zac Farro em entrevista para a Beats 1.

Fiquem ligados aqui no site para conferir o vídeo da entrevista legendado na íntegra!

HARD TIMES

Hayley: Eu não me sinto mais tão mal quanto eu me sentia quando estávamos fazendo o álbum, mas eu definitivamente não superei várias coisas que a gente escreveu nas músicas. E isso é estranho. Normalmente nós fazemos o álbum focando no passado e dessa vez parece que eu ainda estou vivendo algumas das músicas do ‘After Laughter’ em tempo real.

ROSE-COLORED BOY

Hayley: Nós temos esse momento salvo no meu iPhone, quando a gente ouviu [a música] pela primeira vez, depois que eu e o Taylor tínhamos feito o coralzinho [do começo da música] e a gente não conseguia acreditar.

Taylor: Eu acho que, pra mim, esse foi um dos momentos mais legais de escrever um disco. O Zac tinha voltado pra banda depois de um mês de gravação e nós não tínhamos músicas suficientes. ‘Rose-Colored Boy’ foi a última música que a gente escreveu e essa foi uma das que nós [Taylor e Zac] começamos juntos.

TOLD YOU SO

Hayley: Essa foi uma das primeiras músicas que o Taylor me mandou. Essa música começou sendo sobre mim, procurando momentos da minha vida em que eu segui meu coração ou minha intuição e isso acabou me colocando em alguma encrenca ou em lugares que me causaram muito sofrimento. Eu sempre senti que existem pessoas esperando pra me dizer que já sabiam o que ia acontecer e que eu era a única que não conseguia enxergar. Se a gente não tivesse passado por tudo o que a gente passou até hoje, nós não estaríamos sentados aqui e nós não aproveitaríamos o momento como aproveitamos hoje. Nós não teríamos as amizades sinceras e intensas que temos atualmente.

FORGIVENESS

Hayley: Eu acho que o melhor exemplo disso nas nossas vidas como um grupo é o que aconteceu com o Zac. Nós tivemos o que eu acredito que foi o mais verdadeiro perdão e a maior redenção entre esse grupo de pessoas. Eu posso chegar na frente de qualquer um e dizer que existe muita paz agora.

FAKE HAPPY

Hayley: Eu odeio falsidade. Não é legal conviver com isso, não é legal ser assim. Mas aí tem uns momentos na sua vida que você precisa ser profissional e você tem que ser graciosa com você mesma e com os outros e trabalhar duro. Você tem que encontrar gratidão nesses momentos, dessa forma você consegue encontrar um pedacinho de felicidade verdadeira.

26

Taylor: Quando a Hayley escreveu a letra pra essa música, nós sabíamos que ela teria que ser super simples.

Hayley: Pra conseguir superar algumas coisas, às vezes você precisa se colocar numa posição onde você consiga pensar “o que você diria pra você mesmo mais jovem” ou o que você diria pra alguém que está passando pela mesma coisa que você? Porque às vezes é difícil falar consigo mesmo de uma forma amorosa. Eu tenho muito orgulho dessa letra porque eu amei e estava esperando por esse tipo de música pra compor, eu queria que ela fosse muito especial. Eu sentei na escada da minha casa por três horas e eu só saí dali quando eu terminei. Quando eu levantei, eu pensei: “eu acho que eu consegui”.

POOL

Hayley: ‘Pool’ foi uma das primeiras músicas que o Zac e o Taylor terminaram juntos.

Taylor: Eu acho que tem tantas canções de amor que falam “Tá tudo perfeito e lindo e tudo em você é maravilhoso e tudo isso tá ótimo”. Mas a Hayley sempre compõe pras pessoas que não conseguem se identificar com isso. Dizendo tipo: “cara, eu amo essa pessoa mas eu estou triste e isso não tá bem.” Eu sempre amo isso, porque é verdadeiro.

GRUDGES

Taylor: Desde que o Zac voltou pra banda, ele se tornou um compositor incrível, ainda mais com a HalfNoise. E uma das coisas que ele disse foi: “eu adoraria participar da parte criativa agora”. E foi o timing perfeito, porque eu já estava exausto. Então nós começamos a trabalhar em uma ideia dele e isso acabou se tornando ‘Grudges’.

Hayley: ‘Grudges’ precisava muito acontecer. Eu queria escrever sobre o Zac, eu sabia disso. E de alguma forma isso não me bloqueou, a música simplesmente aconteceu. Eu fiquei sentada na minha cama o dia inteiro cantando pra mim mesma. Mas eu simplesmente sabia que eu queria que essa música fosse sobre a banda. Quase como foi ‘Looking Up’, no ‘Brand New Eyes’. Então, ‘Grudges’ é sobre isso. O Zac cantou comigo nessa música e isso foi muito especial pra mim.

CAUGHT IN THE MIDDLE

Taylor: Teve muita coisa pesada enquanto a gente escrevia esse álbum. Eu precisava de um tempo, então eu fui pra uma praia na Florida. Eu dirigi por sete horas. Eu fiquei lá por dois dias e eu voltei pra casa mais deprimido do que antes. Eu pensei: “Cara, eu não deveria ter ido sozinho.” Eu só tinha o meu violão e eu lembro de compor o riff dessa música. Na verdade, essa foi a primeira música do álbum que a gente gravou. No começo ela era bem mais pesada, bem mais rock. Mas, quando a gente juntou todas as faixas, nós percebemos que ou ela teria que ser uma B-side ou a gente teria que tentar mudar algumas coisas. Então, nós voltamos e mudamos todo o clima da música. A gente praticamente mudou tudo.

Hayley:
Mas nós não mudamos os meus vocais, a gente deixou do jeito que tava, mais agressivo, meio gritado.

Taylor: O que foi muito legal porque ficou uma coisa constrastante.

IDLE WORSHIP

Hayley: Eu cruzava com alguém que eu tinha visto em algum show ou alguém com uma camiseta do Paramore e eu sabia que não era brincadeira. Eu não era mais a pessoa da foto naquela camiseta e talvez eu nunca tenha sido. E isso me deixava triste, porque eu não podia mais ser essa pessoa e, ao mesmo tempo, eu ficava com raiva das pessoas que esperam que eu volte a ser isso. E isso me forçou a tentar entender por que nós precisamos idolatrar coisas. Eu não sei por que, mas a gente precisa. E aí nós começamos a idolatrar qualquer coisa, nós mesmos, nossas amizades, alguém que a gente admira ou um herói. E nenhuma dessas coisas são blindadas. Então, essa música me forçou a buscar a única coisa que sempre foi à prova de balas na minha vida, e essa coisa é a fé. Eu acho que compor essa letra derrubou algumas barreiras que me ajudaram a escrever outras letras pro resto do álbum. A essa altura eu sabia que eu não iria mais me lamentar por não ser mais aquela pessoa, porque na minha cabeça era como se tivesse uma estátua minha, de cabelo rosa e laranja, e eu simplesmente nunca mais seria essa pessoa.

NO FRIEND

Taylor: É o nosso amigo Aaron Weiss do MewithoutYou [nessa música].

Hayley: Essa música foi gravada ao vivo, todos nós tocando juntos em uma sala. Eu ia amar se as pessoas pudessem ver o que eles fizeram. Nós crescemos ouvindo mewithoutYou, eles já saíram em turnês com a gente, já tocamos juntos em shows e nós ficamos amigos. [A letra] tem uma história legal e ele [Aaron] foi um amor na composição. Ele pegou pedaços de músicas do Paramore, juntou tudo e fez uma música sobre a nossa história.

TELL ME HOW

Hayley: Essa música foi o lugar perfeito pra eu jogar todos os meus sentimentos. Eu tinha muitos sentimentos sobre perder pessoas. Às vezes, mesmo passando pela mesma experiência, mesmo conseguindo apontar quando alguma coisa era culpa minha ou de outra pessoa, nada disso importa. Quando você morre, que diferença faz de quem foi a culpa de alguma coisa? Enquanto a gente estava escrevendo esse disco, tudo parecia meio questão de vida ou morte. Tudo importava e era significante, cada sentimento. Essa música tem vários pensamentos pesados juntos.

Paramore Brasil | Informação em primeira mão
Anterior

Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Fórum

JJ Ravagnani